Na tradição do rock brasileiro


 

Tá Freud, baia

Ninguém me viu engasgando a seco
com o bagaço da laranja mecânica
Só queria que inventassem pro meu coração
uma injeção antitetânica

Tô lavando os pratos, que na pia deixou nosso amor
Não me avisou no contrato sobre dor

Foi te dando as estrelas que meu mundo caiu
Hoje eu moro com Freud numa caixa de rivotril
Foi te dando as estrelas que meu mundo caiu
Hoje eu moro com Freud numa caixa de rivotril

Me pediu em casamento com sua língua gringa
que no final tinha um tal de mon amour
Mas hoje meu coração apertou a tecla Sap
meu Deus eu me fu fui

Até que a morte nos separe, mas me deixou sozinho
em nosso barquinho a afundar
Me manda ao menos um colete
sem vocês eu não sei nadar

Foi te dando as estrelas que meu mundo caiu
Hoje eu moro com Freud numa caixa de rivotril
Foi te dando as estrelas que meu mundo caiu
Tô morando com Freud numa caixa de rivotril

Freud me contava suas neuras, amores e mágoas
quando de repente, ai psiu
Era o meu cumpadre Ded que já tava dentro da caixa
eu pensei pata que o pariu

É que o amor nos roubou e ninguém gritou pega ladrão
Assinamos um BO mas nos prenderam em vossas mãos

Foi te dando as estrelas que meu mundo caiu
Hoje eu moro com Freud numa caixa de rivotril
Foi te dando as estrelas que meu mundo caiu
Tô morando com Freud numa caixa de rivotril

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s